Alimentação saudável: O que é, e 10 dicas para se alimentar melhor

Imagem freepik
Uma boa alimentação é uma parte importante de levar um estilo de vida saudável. Combinada à atividade física, sua dieta pode ajudá-lo a atingir e manter um peso saudável, reduzir o risco de doenças crônicas (como doenças cardíacas e câncer) e promover sua saúde geral.
Mas muitas vezes devido a pressa, trabalho, estresse, procuramos algo mais rápido e mais fácil para comer.  Geralmente acabamos comendo de acordo com a conveniência, e não com o que é saudável. Muitas vezes, comemos para agradar nosso paladar, mas permanecemos inconscientes dos riscos à saúde que esse tipo de hábito alimentar pode representar. Ou em uma tentativa de perder peso, também acabamos cortando alguns ingredientes essenciais de nossa dieta. Isso, em vez de nos tornar mais saudáveis, faz exatamente o oposto. Todos os elementos são necessários para o seu corpo, sejam vitaminas, minerais, proteínas, carboidratos, fibras ou até gordura (embora escolha os saudáveis). Cada um desses nutrientes tem seus próprios papéis individuais a desempenhar no desenvolvimento físico e mental.

Efeitos de hábitos alimentares errados
Um efeito imediato da escolha incorreta de alimentos em nossa saúde é o ganho excessivo de peso em um curto espaço de tempo, ou a obesidade. Em seguida estão problemas como diabetes, doenças cardíacas, pressão alta, baixo peso, ossos fracos ou até mesmo desenvolvimento lento do cérebro. É imperativo comer comer bem, a fim de se manter saudável.

O que é uma alimentação saudável?
Alimentação saudável significa comer uma variedade de alimentos que fornecem os nutrientes necessários para manter sua saúde, sentir-se bem e ter energia. Esses nutrientes incluem proteínas, carboidratos, gordura, água, vitaminas e minerais.

Dicas para ter uma alimentação saudável

Tenha sempre alimentos saudáveis a disposição: Quando você fica com fome, é mais provável que coma a primeira coisa que vê na frente. Mantenha alimentos saudáveis em locais facilmente acessíveis e visíveis em sua casa e local de trabalho. Coloque algumas frutas em uma cesta e coloque-as no balcão da cozinha, armazene lanches saudáveis ao nível dos olhos em sua despensa e geladeira como, grãos integrais cozidos, frutas e legumes frescos. No trabalho, armazene lanches rápidos como frutas, amêndoas, pistache e frutas secas.

Evite os industrializados e ultraprocessados: Evite alimentos industrializados, processados e embutidos. Estes produtos contêm inúmeras substâncias químicas que não são reconhecidas pelo nosso organismo. Durante o processamento, nutrientes importantes como vitaminas, minerais e fibras são removidos enquanto sal e açúcar, gorduras, realçadores de sabor são adicionados. Estes alimentos prejudicarem mecanismos que indicam a fome e à saciedade, favorecerem o acúmulo de gordura, favorecem, desenvolvimento de alergias e intolerâncias alimentares, prejudicarem o funcionamento dos rins, causam distúrbios estomacais e intestinais, favorecem o desenvolvimento de diabetes, hipertensão, obesidade e diversos tipos de canceres.
 Exemplos de alimentos ultraprocessados: Enlatados, embutidos, congelados, preparações instantâneas, refrigerantes, salgadinhos, frituras, doces, gelatinas industrializadas, refrescos em pó, temperos prontos, margarinas, macarrão instantâneo, sorvetes, biscoitos recheados, achocolatados e outras guloseimas.

Evite pular refeições: Ao pular refeições, você fica muito tempo sem se alimentar e isso pode fazer com que na hora de se comer você coma exageradamente.

Consuma menos açúcar: O consumo exagerado de açúcar, em especial o açúcar refinado e branco, pode aumentar os riscos de problemas como a diabetes, obesidade, colesterol alto, gastrite e prisão de ventre.
Além disso, esse produto vicia! Ele estimula a produção de um hormônio chamado dopamina, que é responsável pela sensação de prazer e bem-estar, fazendo com que o organismo fique viciado.

Consuma menos sal: O consumo de sal em excesso faz mal à saúde, podendo causar problemas nos olhos, nos rins e no coração, por exemplo. A Organização Mundial da Saúde indica que o consumo ideal de sal por dia é de apenas 5 gramas para um adulto.

Beba água: A água te deixa saciado por mais tempo, hidratada, colabora para a saúde da pele e dos cabelos, melhora o funcionamento do intestino, entre diversos outros benefícios. A água não deve ser substituída por refrigerantes, sucos, especialmente os industrializados, e muito menos bebidas alcoólicas. Se precisar de uma ajuda extra para não esquecer de beber 2 litros de água diariamente, existem diversos apps que funcionam como ótimos despertadores para te lembrar, por isso tenha sempre uma garrafinha de água por perto.

Planeje sua alimentação:Planejar o cardápio semanal ajuda a avaliar melhor os hábitos alimentares. Organizar os pratos ao longo da semana permite uma alimentação mais saudável e variada, sem exageros e tentações. Preparar alimentos nutritivos com antecedência, congelar algumas coisas, fazer marmitas são estratégias possíveis para quem tem pouco tempo para se dedicar à cozinha.

Consuma frutas e legumes: Frutas, legumes e verduras são ricos em vitaminas, minerais e fibras e devem estar presentes diariamente nas refeições, pois contribuem para a proteção à saúde e diminuição do risco de ocorrência de várias doenças. Compre os alimentos da época (estação), além de serem mais baratos, eles são mais saudáveis, pois exigem menos aditivos químicos para se desenvolverem e esteja atento para a qualidade e o estado de conservação deles.

Coma com calma e atenção: Ao mastigar bem os alimentos você aumenta naturalmente a concentração no ato de comer e prolonga sua duração. O hábito faz com que a sensação de saciedade apareça de forma mais eficiente, evitando excessos e exageros nas refeições.

Comece devagar: Mudar hábitos não é fácil, estabeleça pequenas metas atingíveis. Por exemplo, hoje você vai comer um legume ou verdura diferente no almoço, uma fruta de lanche, adicione uma porção extra de vegetais ao jantar apenas três vezes por semana.

Portanto se alimentar bem e essencial para o bom funcionamento do corpo e da mente. Mas muitas pessoas não conseguem fazer essas mudanças sozinhos, o recomendado e sempre procura ajuda de médicos especialistas como nutricionistas, para melhorar os hábitos alimentares, viver bem e com saúde.

➥Veja também:O que é sedentarismo?Quais os riscos para a saúde?4 dicas para sair do sedentarismo

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem